sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Coluna:Música(por André Figueiredo)

Caetano e o Paradoxo

João Gilberto gostava de tocar seu violão em lugares fechados, com paredes grossas , para que o contato com o exterior fosse o mais nulo possível. Dentro de um banheiro – seu lugar preferido- ele tentava a sonoridade mais pura , longe da sujeira da realidade.
Esses encontros íntimos com ele mesmo resultaram na famosa batida das cordas do seu violão, revolucionária, chamada bossa nova.Por esse contexto de criação , o pessoal da bossa nova foi nomeado de “purista”.
A partir daí, todos foram influenciados musicalmente, até hoje.Inclusive Caetano Veloso, que começou por causa de João Gilberto.
Porem, ninguém esperava tamanha genialidade de Caetano,que dez anos depois , foi o mentor do movimento tropicalista.Movimento com proposta totalmente diversa dos puristas.
O tropicalismo é totalmente aberto ao mundo externo, tanto que, as influências não são só nacionais, mas também de artistas estrangeiros como os Beatles em seu álbum revolucionário Sgt Peppers. Os Mutantes que o diga,usaram e abusaram de Beatles na época da tropicália.
Enfim, Caetano trouxe musicalidades do mundo todo , filtrou e adaptou ao Brasil.Atitude totalmente inversa da sua origem.Esse é o grande artista, o artista genial; o artista que consegue abrir sua mente para outras culturas, mesmo que a sua seja esquecida momentaneamente. Isso acabou influenciando todos os artistas a posteriori e fundou uma identidade na música brasileira, a MPB.

Nota:A coluna de Música será atualizada, a partir da próxima semana, às quintas-feiras.

4 comentários:

Tatiane disse...

Primeira coluna do blog!!!Excelente!!Todos precisamos comemorar!Ficou ótima,André,parabéns!!

Bruna disse...

Aeeee

todos começando a gostar dessa coisa de ser profissional de comunicação!rs

Parabéns amigos de turma =)

beijos Bruna

Filipe Barbosa disse...

Parabéns, André!

Enquanto mediador dos acontecimentos do período da Bossa Nova, na Música Brasileira, articulou de forma pertinente a relação icônica de Caetano Veloso para o contexto artístico do nosso país. Bela apropriação! Com senso! rs

Alexandre disse...

Meu querido, foi um belo começo.
50 anos de bossa nova e essa colunda, tudo haver.
Ótimo texto!! Será que o próximo será sobre o Tropicalismo???
Me conta na próxima coluna.
Abraço!!!